Reportagens

FishingTur

Olha aí

Interativos

Anúncios



Rio Araguaia – A Piraíba e Pirararas dos Penn-raíbas

Rio Araguaia – A Piraíba dos Penn-raíba

Local: Rio Araguaia
Pousada Crystal e Pousada Meia-lua

Olá Amigos,

Pescar no rio Araguaia já é um sonho de todo pescador brasileiro que se preze, quando recebemos o convite pra irmos atrás das Piraíbas nesse local espetacular é claro que aceitamos prontamente, e a ansiedade até a partida já tomou conta dessa dupla aficionada pelos gigantes de couro e por pesca pesada em geral, no melhor estilo Penn Raiba.

Tralha pesada arrumada e partimos na nossa weekend apelidada carinhosamente de “Maria bandida” em direção à São Miguel do Araguaia, última cidade antes do porto de Fio Velasco, onde embarcaríamos em direção à Pousada Crystal e em seguida rumo à Pousada Meia Lua.

Viagem longa e cansativa, ainda mais pra quem está ansioso como todo pescador entende bem, mas ao ver o rio as quase 21h direto no carro pareceram nem fazer diferença, não gosto dessas expressões mas tenho de concordar, a magia do lugar já te preenche completamente e você passa a respirar pesca; Araguaia é algo de inexplicável!

Material utilizado:

Piraíbas:
Conjunto 1: Vara Penn International Tuna Stick trolling 50-100lb 5 ½´ e carretilha Penn International 50VSW com quase 500m de linha Camu XT 0,90mm

Conjunto 2: Vara Combat da Star River 180lbs 6´e carretilha Penn Squall 50VSW com quase 500m de linha Camu XT 0,90mm

Conjunto 3: Vara G-Loomis 40-60lb 7´ e carretilha Penn International 30VSW com quase 350m de linha Camu XT 0,90mm

Pirararas:
Conjunto 1: Vara Jaú da Star River 50-80lbs 7´ e carretilha Penn Special Senator 113H 4/0 com 200m de linha Camu XT 0,90mm

Conjunto 2: Vara G-Loomis 40-60lbs 7´ e carretilha Penn Special Senator black (1962) 114H 6/0 com 300m de Camu XT 0,90mm

Para Iscas:
Vara customizada de 20lbs com carretilha Penn Levelmatic 910 e multifilamento 30lbs.

Araguaia

Araguaia

A Pescaria:

Parte 1 – Pousada Crystal

Começamos nossa pescaria na Crystal, e como nosso piloteiro Tomáz não tinha tanta experiência nas Piraíbas partirmos inicialmente atrás das lindas Pirararas, que afinal é também um peixe maravilhoso, na minha opinião o mais bonito dos bagres.

No primeiro dia tomo uma pancada violenta na Senator 114H que prontamente foi respondida com força, mas infelizmente o peixe já estava no pau e por mais que tentássemos não conseguimos tirá-la de lá, e fomos obrigados a arrebentar a linha depois de muito tentar (quem conhece a gente sabe que não desistimos NUNCA, só quando realmente vemos que não tem mais jeito…). Araguaia é isso, mesmo com tralha oceânica e linha 0,90mm de alta qualidade nunca é garantido que o peixe vai sair.

Na parte da tarde algum “submarino” parece ter passado e enroscado bem no nosso conjunto mais leve; até conseguirmos tirar a vara do suporte o monstro deve ter tomado n mínimo 20m de linha, com fricção da 114H travada quase no limite de resistência da linha. E toma briga pesada!! Na hora que vi a cena já gritei na hora pro Daniel “É PIRAÍBA, PIRAÍBA!!!!”.

Mas apesar da pegada violenta e com muita velocidade, típicas das Piraíbas, o peixe logo encontrou um enrosco e por ali ficou, já indicando que devia ser uma arara, já que as Piraíbas mesmo quando passam no enrosco tender a continuar correndo, não param no pau pra descansar como as Pirararas que já conhecemos muito bem.

Depois de muita briga, muito enrosco (que a linha Camu XT aguentou muito bem) e muito suor, aparece a nossa querida e tão amada Pirarara, e das GRANDES! Já fomos 4 vezes ao Araguaia até hoje, e pescamos Pirararas em pesqueiros há 15 anos, e essa sem dúvida está entre as 3 maiores que já vimos ao vivo. Realmente MONSTRO!!! Seguem fotos desse animal lindíssimo, bruto, e que fez sofrer e muito o Daniel que acabava de se recuperar de cirurgia no joelho.

Araguaia

Araguaia

Teríamos então apenas mais dois dias na Crystal, e assim esses dias focamos apenas nas Piraíbas, tentando de tudo em muitos pontos e variando muito desde a isca até o tamanho do chumbo, mas infelizmente não conseguimos o encontro com a prateada, ainda! Apesar disso nos divertimos bastante com a pesca de “iscas” em geral, que lá se faz quase o tempo todo enquanto se espera as Piraíbas, e chegamos a fisgar no mesmo ponto quase 10 espécies diferentes, e com a mesma isca! Corvina, barbado, mandubé, candiru, bagres em geral (lá tem vários diferentes), cachorra facão, piranha branca, piranha vermelha, etc e etc…

Araguaia

Araguaia

Também consegui fisgar algumas cachorrinhas e bicudinhas na artificial, outra modalidade que me atrai e é muito praticada por lá; apesar de ser difícil encontrar espécimes de bom porte, tem bastante ação e assim dá pra se divertir e muito.

Destaque também para os deliciosos almoços na beira do rio, à base de peixes que seriam usados de isca como curimbas direto no fogo de lenha, simplesmente sensacional! Além da alimentação na pousada ser fora de sério, ainda tem-se o prazer de um almoço quase selvagem e delicioso como esse. Quem for pra região não deve esquecer de ao menos um dia almoçar no rio e vivenciar essa experiência.

Araguaia

Araguaia

Araguaia

Araguaia

Parte 2 – Pousada Meia Lua

Saímos bem cedo da Crystal já de café tomado e chegamos na Meia Lua onde o nosso grande guia Corôa já nos esperava pra sairmos em busca das tão sonhadas Piraíbas.

Guia especializado na pesca desse bagre colossal, tem grande experiência no rio e até mesmo seu barco é todo modificado e arrumado para ter mais agilidade nas fisgadas e na soltura do barco pra ir atrás do peixe quando se tem uma ação, já que elas costumam pegar já com uma velocidade absurda, e se demorar pra ir atrás delas o pescador vai ver a linha do carretel “secar” rapidamente.

Já no primeiro dia tivemos algumas ações esquisitas utilizando candirus que nosso guia já tinha pego previamente; segundo o Corôa as ações deviam ser de peixes menores e manhosos, que não abocanharam a isca por completo. De qualquer modo já animou bastante, pois pequeno ou não, teoricamente por ali haviam Piraíbas!
No segundo dia passamos pegar iscas em locais de beleza ímpar, e no caminho fomos mais uma vez notando a quantidade de vida que tem no Araguaia, de dezenas de espécies de pássaros, passando por jacarés amarelos e açus, veados, catetos, e até uma anta vimos nesse dia. Não só de peixe vive esse rio, mesmo se não encontrar o peixe que foi procurar o pescador volta pra casa com cenas inesquecíveis!

Araguaia

Araguaia

Passando pouco das 11 da manhã, no terceiro ponto de pesca do dia, nosso conjunto mais pesado e no qual depositamos mais esperanças toma uma pancada como nunca tínhamos visto antes; parecia que tinha enroscado a linha numa lancha, tamanha velocidade que a linha saia do carretel. Detalhe que o conjunto se tratava de uma vara Penn International 100lbs e carretilha Penn International 50VSW, tralha geralmente usado para marlins azuis, e o peixe parecia nem sentir resistência… Esse bixo É UM MONSTRO de forte, só com uma na linha pra entender do que se trata, e pode ter certeza de que é algo pra nunca mais se esquecer.

A fisgada veio de bate-pronto, soltei toda a força do braço e do corpo, e depois mais uma confirmada antes de simplesmente travar o conjunto no cinto e no nosso colete de apoio e ver o Corôa já com o barco solto e ligado ir em direção ao submarino.

O peixe começa a diminuir a velocidade mas também não consigo dar sequer uma manivelada na carretilha, e quando começo a ganhar linha notamos que ela tinha feito uma curva e a linha estava no enrosco. Nem preciso dizer que fiquei atônito de medo de perder o que seria com certeza o maior peixe da minha vida, e nossa primeira Piraíba, mas é aí que mais uma vez um bom guia faz toda diferença; controlando na perna o motor pro barco ficar parado e sem rodar ele conseguiu, usando um poita de concreto amarrada com corda, pegar a linha do outro lado de enrosco, segurar na boca, cortar e amarrar de novo… Cena impressionante, e que me devolveu toda a esperança de abraçar quem estava na outra ponta da linha. Estava então novamente briga direta com o peixe; ou pelo menos é o que pensávamos…

Assim que consigo recolher e forçar o peixe pra ver pra onde estava indo, já sinto de novo a linha raspar em pauleiras… Só não fiquei mais desesperado porque depois do relatado acima imaginei que faríamos novamente a mesma coisa, e foi exatamente o que aconteceu. Nesse momento além de um excelente guia uma linha boa contra abrasão também faz toda a diferença; a linha que usamos, Camu XT 0,90mm, não voltou sequer puída depois desses dois enroscos.

Linha cortada, reemendada, barco posicionado, e FINALMENTE eu estava no mano a mano com ela. Mais alguns minutos e pela primeira vez vemos ela aparecer na superfície; embora ainda bem longe já deu pra ver que era uma piraíba das grandes, e a perninha do pescador aqui bambeou na hora (mais ou menos como aconteceu agora enquanto escrevo pra vocês, só de lembrar desse momento, rsrs).

Encostamos numa praia e aos poucos ela veio se aproximando, num zigue zague com a nadadeira dorsal pra fora d’água que nos fez entender o porquê do apelido “tubarão de água doce”. Foram segundos que na minha cabeça eram eternos enquanto eu andava na direção dela para enfim abraçar uma das maiores metas da minha vida e da Penn Raiba, uma lindíssima piraíba! Minha meta pessoal era uma maior que eu que tenho 1,91m, e esse peixe mediu exatos 1,92m. Choro de alegria foi pouco pra explicar a sensação que vivemos ali, e a comemoração se estendeu até a madrugada nesse dia.

Araguaia

Araguaia

No terceiro e último dia partimos novamente atrás só das Piraíbas, não descendo do barco nem pra almoçar; pegamos algumas corvinas recém-pescadas e fizemos um belo almoço de sashimi e ceviche.

Enquanto pescávamos iscas alguma coisa diferente bate na perfil baixo do Corôa e sai em disparada; ele passou pra mim a vara e prontamente soltou e ligou o barco em direção ao peixe, que mesmo com a fricção no máximo mais meu dedo no carretel tomava linha sem parar. Pela velocidade imaginamos um filhote, e parecia mesmo pois não parava de correr no meio do rio, sem procurar enroscos em momento algum. Uma das linhas enroscou então fomos descendo atrás do peixe e quando a linha acabou o guia amarrou numa garrafa de plástico e soltou na água pra buscarmos depois.

Trocamos então de pescador por duas vezes, e mais de meia hora depois encostou no barco uma Pirarara que, se não for a mais linda e colorida que já vimos, com certeza está entre elas; e além disso era um peixe já de bom porte, por isso sofremos tanto mesmo com linha multi 0,35 fechada no máximo. Com a marcação da garrafinha solta com uma linha amarrada pudemos constatar que tiramos ela há mais de 1km de onde foi fisgada, pois a garrafa estava com 500m de linha na água, e andamos ao menos mais 500m até chegar na garrafa. Tiramos fotos e mais fotos com esse peixe fantástico que nos deu muita adrenalina, expectativa, e enganou até mesmo o experiente guia, e logo a devolvemos pra água e pra vida!

Araguaia

Araguaia

Tentamos mais diversos pontos mas as rainhas do Araguaia não apareceram até o fim da tarde, então pedimos ao Corôa pra ir atrás de Pirararas pra fechar a viagem, e em pouco mais de 2 horas de pescaria conseguimos fisgar e trazer para as fotos e gravação 3 lindas Pirararas de pequeno a médio porte. Como estávamos com tralha apenas pras Piraíbas no barco a briga ficou um pouco desigual pra elas, mas ainda assim elas mostraram pra gente toda sua força e teimosia em querer voltar pro fundo e buscar enroscos. Lindas em qualquer lugar, no Araguaia elas realmente têm um colorido ainda mais belo, com cores muito vivas e vibrantes.

Araguaia

Araguaia

E assim encerramos essa fantástica viagem ao Araguaia, deixando pra trás somente saudades e levando embora muitas boas recordações, grandes amizades e muitas imagens. Pra quem ainda não viu e se interessou, as filmagens do que foi acima relatado estão em nosso site e no canal Fishingtur no YouTube, acessem!

Nosso agradecimento ao Val e Wellington da Pousada Crystal e ao casal Miraldo e Paulina da Pousada Meia Lua que nos convidaram para realizar essa pescaria. Pessoas fantásticas sem as quais não teríamos essa oportunidade tão esperada por nós.

Agradecemos também ao Fishingtur e ao Márcio pelo espaço e confiança que sempre nos dá e pelos muitos anos de parceria.

E finalmente nosso agradecimento especial à todos vocês que nos acompanham e nos apoiam, seja assistindo ou lendo nossas matérias, seja comprando nossas carretilhas e acessórios, seja nos seguindo nas redes sociais.

Grande Abraço da Penn Raiba Carretilhas

Texto: Felipe Naous
Fotos: Daniel Martinez e Felipe Naous

AGRADECIMENTOS

Pousada Crystal
Pousada Meia-Lua


Gostaria de receber as matérias por e-mail? Cadastre-se aqui!

Sem comentários


Fatal error: Call to undefined function show_subscription_checkbox() in /home/storage/b/dc/e9/fishingtur/public_html/wp-content/themes/ad-clerum-10/comments.php on line 101
xxxx